"Digno é Deus, o criador, de toda honra e toda glória para todo o sempre".

Pesquisar pedacinhos

19 de out de 2011

In memoriam






Piano e notas musicais quebram o silêncio que você deixou.
Uma pausa e um soluço profundo.
In memoriam do amor eu canto.


Morrerás nesta noite em que velo por ti, não renascerás de lágrimas, nem das lembranças, pois hoje se fez meu último ritual.


Eu ouvi, como no inverno  em que nos conhecemos, a chuva gritando nosso nome,
fertilizando meu coração estéril e o vento sussurrar uma prece o nosso favor: 
omnia vincit amor.


Fez se o amor, mas tu o mataste dentro de ti e deixaste vivo dentro de mim. 
Como há ressurreição da tua parte se estou a velar o teu amor agora.
 Ao som do meu velho e companheiro piano,In memoriam do amor eu canto:


Morrerás nesta noite em que velo por ti, não renascerás de lágrimas, nem das lembranças, pois hoje se fez meu último ritual.


Não há nada além de lembranças.
Te vejo ao por do sol da minha janela.
Não resta mais nada além da minha canção, minha prece diária


Morrerás nesta noite em que velo por ti, não renascerás de lágrimas, nem das lembranças, pois hoje se fez meu último ritual.

Google+ Badge

Ocorreu um erro neste gadget