"Digno é Deus, o criador, de toda honra e toda glória para todo o sempre".

Pesquisar pedacinhos

16 de set de 2014

A visita da Dor

Minha alma está rasgada e entregue à Dor que, melancólica, de olhos negros e vazios como a noite sem você, acaricia meus cabelos úmidos. Por que a Dor tem que me fazer companheira quando tu não estás aqui? Porque ela insiste em sentar à beira da cama e sussurrar devaneios e poemas mortos em meus ouvidos já cansados de ouvir essa enfadonha  marcha fúnebre que me atormenta? Estarei morto. Morto aos pés da Dor, minha companheira, outrora inimiga, mas que me afaga os cabelos agora.

Google+ Badge

Ocorreu um erro neste gadget